0

Posso usar sapatilha de ponta mesmo não fazendo ballet?

Imagem

Achamos lindas as sapatilhas de ponta, mas não adianta comprar e sair usando, ou mesmo treinar sozinha em casa. Não, não é assim.

Sapatilha de ponta requer cuidados específicos, com musculatura específica, do contrário, lesões graves poderão ocorrer em seu corpo, inclusive riscos de danos permanentes na musculatura e nos ossos dos pés.

É preciso que, procure uma escola de ballet clássico e manifeste esse desejo, especificando ser uma iniciante. Então, o profissional da área irá te avaliar e lhe preparar para este trabalho com ponta. Alguns até já pedem para que comprem a ponta, mas não para sair dançando, mas para realizar o trabalho com a musculatura e a estrutura do pé. Nada de comprar e dançar por conta própria!

Fica a dica, Beijos!

0

Pirueta perfeita

Imagem

Apesar de ter inúmeros tipos de piruetas alguns fatores para se fazer uma pirueta são os mesmos:

  • Primeiro de tudo, não só para as piruetas, mas para tudo do ballet: o encaixe do quadril. Se o bailarino não estiver bem encaixado, isso irá refletir diretamente no eixo. É o que geralmente acontece quando alguém despenca de um giro.
  • Segundo: Capriche no demi plié. Costuma-se dizer que a quantidade de piruetas é diretamente proporcional ao tamanho do plié.
  • Terceiro: Impulso. Ele refletirá na tirada rápida do passé. Se a tirada for lenta, o impulso será mínimo e será até mais difícil de abrir o en dehors.
  • Quarto: En dehors. Quando girar, abra o máximo que puder o joelho, como se houvesse alguma força puxando-o para trás. Essa força para trás é resultará também na qualidade e quantidade do giro. Cuidado para não relaxar o pé do passé!
  • Quinto: Cabeça. Marque um ponto certo para girar a cabeça. Se você acompanhar o corpo com a cabeça, com certeza ficará bem mais tonta que o normal e fará um giro na sorte. Se sentindo no eixo, e com cabeça: pronto! O básico para a pirueta perfeita já está pronto.
  • Sexto: Os braços. Esses dois membros que possuímos são muito importantes, mas devem ser usados com cautela, pois um grande vício pode vir a se formar daí. É certo que o braço ajuda no impulso, mas o braço completo: braço , antebraço , mão. Não se pode separar a mão do resto para pegar velocidade. Isso é um vício muito comum, e que tem que ser eliminado o mais cedo possível.
  • Encaixe, plié, impulso, en dehors, cabeça e braços!

Pense sempre nessa frase na fração de segundos da sua preparação de piruetas para o giro propriamente dito.

0

Melhore o seu equilíbrio

Imagem

Oi bailarinas, tudo bom? Hoje separei 3 exercícios para aumentar seu equilíbrio.

Equilíbrio é a habilidade de manter o centro de gravidade do corpo, minimizando oscilação postural. É um estado de equilíbrio corporal caracterizado por completo o silêncio, vazio de forças opostas em todos os lados. O equilíbrio é conseguido através da coordenação de três sistemas do corpo: o sistema vestibular, sistema motor e do sistema visual.

O sistema vestibular está localizado no ouvido interno, o sistema motor é feito de músculos, tendões e articulações, o sistema envia os sinais visuais dos olhos ao cérebro sobre a posição atual do corpo. Ficar equilibrada não é uma questão de ficar rigidamente em um ponto. O equilíbrio é encontrado em constante deslocamento do corpo para fazer ajustes sutis. Dança requer rápidas mudanças no posicionamento do corpo, especialmente nos pés, tornozelos, joelhos e quadris. Porque os olhos não se fixam em um único ponto, um bom equilíbrio é necessário para tornar suave, movimentos completos.

Os exercícios a seguir devem ajudar a melhorar seu equilíbrio. Estar ao lado de uma cadeira ou parede, no caso você precisa pegar o seu equilíbrio.

1 – Permaneça descalço, suba lentamente para a meia-ponta dos pés, pressionando os dedos dos pés para o chão. Concentre-se na centralização do peso do corpo em algum lugar entre o calcanhar e o dedão do pé. Tente puxar para cima e para fora das articulações, mas manter os joelhos relaxados. Abaixe o calcanhar lentamente e repita.

2 – Fique em um pé sobre uma superfície dura, sem travar os joelhos. Divida o peso do corpo em partes iguais entre o calcanhar e a bola do pé. Fique nesta posição por um minuto, em seguida, mude para o outro pé.

3 – Fique em um pé com o peso do corpo dividido entre o calcanhar e a bola do pé. Levante o calcanhar e gire lentamente para a esquerda (uma volta de 90 graus) sobre a bola do pé, então pare e abaixe o calcanhar. Repita algumas vezes, em seguida, alternar os pés. Uma vez que você estiver confortável com curvas pequenas, tente voltas inteiras. Se você perder o seu equilíbrio durante os exercícios, tente recuperá-lo rapidamente com o ajuste mínimo possível. Estenda a mão e toque levemente a cadeira ou parede com a ponta dos dedos. Quando você se sentir firme tente novamente.